O sertão vai virar mar, dá no coração o medo que algum dia o mar também vire sertão!

Esse é um clássico da música popular brasileira, canção de Sá e Guarabyra de 1977, que mostra de forma marcante como a relação do homem com a natureza poderia promover profundas e irreversíveis alterações em nosso espaço geográfico. No espaço mental essas dimensões, mar e sertão coexistem.

Nesse momento, onde o isolamento social vivido em consequência da pandemia do COVID19 promoveu extremas vivências de faltas, vazios e desesperanças… O projeto “quem ouve um conto sonha outro conto” procura povoar com poesia e sonhos o nosso sertão e nos ajudar a transitar pelas diferentes dimensões: do popular ao erudito, do jagunço ao doutor, do sertão ao mar.

Para isso convidamos para “quem ouve um conto sonha outro conto” nossa querida: Ana Márcia Vasconcelos de Paula Rodrigues, psiquiatra e psicanalista, membro associado da SBPRP, para através dos sonhos despertados pelo conto Famigerado, de Guimarães Rosa (1962) e da poesia Rio sem discurso, de João Cabral de Melo Neto. Para que nos ajude a pensar no mar de emoções e nos Sertões que nos habitam.

Assista em vídeo pelo nosso canal do YouTube:

Ou acesse nosso Podcast:

"Quem ouve um conto, sonha outro conto…" – Famigerado e Rio sem discurso SBPRP

O sertão vai virar mar, dá no coração o medo que algum dia o mar também vire sertão! Esse é um clássico da música popular brasileira, canção de Sá e Guarabyra de 1977, que mostra de forma marcante como a relação do homem com a natureza poderia promover profundas e irreversíveis alterações em nosso espaço geográfico. No espaço mental essas dimensões, mar e sertão coexistem. Nesse momento, onde o isolamento social vivido em consequência da pandemia do COVID19 promoveu extremas vivências de faltas, vazios e desesperanças… O projeto “quem ouve um conto sonha outro conto” procura povoar com poesia e sonhos o nosso sertão e nos ajudar a transitar pelas diferentes dimensões: do popular ao erudito, do jagunço ao doutor, do sertão ao mar. Para isso convidamos para “quem ouve um conto sonha outro conto” nossa querida: Ana Márcia Vasconcelos de Paula Rodrigues, psiquiatra e psicanalista, membro associado da SBPRP, para através dos sonhos despertados pelo conto Famigerado, de Guimarães Rosa (1962) e da poesia Rio sem discurso, de João Cabral de Melo Neto. Para que nos ajude a pensar no mar de emoções e nos Sertões que nos habitam. Referências: NETO, João Cabral Melo. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1999. ROSA, João Guimarães. Primeiras estórias. Global editora, 2019. SÁ E GUARABYRA. Sobradinho, 1977. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=naxgLThFCsc. Acesso em: 14 de dezembro de 2021.

Referências:

NETO, João Cabral Melo. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1999.
ROSA, João Guimarães. Primeiras estórias. Global editora, 2019.
SÁ E GUARABYRA. Sobradinho, 1977. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=naxgLThFCsc. Acesso em: 14 de dezembro de 2021.